Revista Acontece Regional

Meninos também serão vacinados contra HPV em 2017

Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação incluem ainda ampliação das doses contra a meningite C

O Brasil será o primeiro país da América Latina e o sétimo do mundo a oferecer vacina contra o HPV para meninos em programas nacionais de imunização. Em janeiro, o Ministério da Saúde passa a disponibilizar a vacina contra o HPV, para meninos de 12 a 13 anos, na rotina do Calendário Nacional de Vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS). A faixa etária será ampliada gradativamente até 2020, quando também serão incluídos meninos de 9 a 13 anos.

A estratégia tem como objetivo proteger contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV; mais de 90% dos casos de câncer anal são atribuíveis à infecção pelo HPV. A definição da faixa etária para a vacinação visa imunizar as crianças antes do início da vida sexual, portanto antes do contato com o vírus.

O esquema vacinal para os meninos contra HPV será de duas doses, com seis meses de intervalo entre elas. Para os que vivem com HIV, a faixa etária é mais ampla e também inclui adultos de 9 a 26 anos com esquema vacinal de três doses, com intervalos de 2 e 6 meses. No caso dos portadores de HIV, é necessário apresentar prescrição médica.

 

Reforço

O Ministério da Saúde anunciou ainda outra mudança no Calendário Nacional de Imunização: a ampliação das doses contra a meningite C para adolescentes de ambos os sexos. O objetivo da ação é reforçar a eficácia da vacina, que antes era aplicada somente em bebês de três, cinco e 12 meses. Agora a dose também estará disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) para adolescentes de 12 a 18 anos. Isso porque, com o passar do tempo, a vacina pode perder parte de seu efeito.

Foram compradas 15 milhões de doses e a meta é vacinar 80% do público-alvo, formado por 7,2 milhões de adolescentes. Em 2015, foram registrados 15,6 mil casos dos diferentes tipos de meningite no Brasil e a vacina é a principal forma de proteção. A meningite C é o tipo mais prevalecente da doença no país, representando até 70% do total de casos.

 

Dengue e Herpes

Existem diferenças entre o Calendário Nacional de Vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) e o Calendário de Vacinação da Criança e do Adolescente, que é elaborado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Isso acontece porque algumas vacinas recomendadas pelos médicos nem sempre são fornecidas na rede pública. É o caso da vacina contra a dengue, incorporada no Calendário de 2017 para pessoas entre nove e 45 anos. A dose deve ser aplicada em três doses com intervalo de seis meses entre elas.

A medida significa que os pediatras podem passar a indicar a vacina, encontrada em clínicas particulares, como forma de prevenir a doença. Atualmente, apenas algumas cidades do Paraná têm o imunizante na rede pública. Fabricada pela empresa Sanofi Pasteur e registrada no Brasil desde dezembro de 2015, a Dengvaxia é a primeira vacina desenvolvida contra a dengue no mundo e a única com registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Outra vacina recomendada pela Sociedade Brasileira de Imunização é a Herpes Zoster. O medicamento, ainda pouco conhecido, previne contra o vírus, popularmente conhecido como “cobreiro”. A administração é feita em dose única e, segundo Mara Ramos, enfermeira responsável pela Vacinação – Clínica de Vacinas, em Limeira, mesmo aqueles que já tiveram a doença podem e devem ser vacinados contra o vírus. Isso porque, de acordo com ela, a prevenção é mais simples do que o tratamento.

“O maior problema que a herpes provoca é neuralgia intensa, que limita os movimentos mais simples. Outro impacto negativo é a falta da qualidade de vida, devido ao isolamento social, depressão e complicações permanentes na região ocular. O paciente fica dependente de medicamentos potentes para amenizar os sinais e sintomas, que podem melhorar em seis meses ou até durar por anos”, explica Mara Ramos. A vacina contra o vírus está licenciada pela Anvisa e é fornecida somente em clínicas particulares.

Compartilhe isso:

Adicionar comentário

http://www.faal.com.br