Revista Acontece Regional

Tiago Degaspari: Drones nos céus.

 

A tecnologia é algo intrigante. Assim como a caneta esferográfica, o telefone celular e a localização por GPS, os RPA (RemotelyPilotedAircraft), conhecidos popularmente como drones, foram desenvolvidos para fins militares, mas hoje estão ao alcance de praticamente qualquer pessoa.

Algumas décadas atrás era quase improvável imaginar que no começo do século XXI poderíamos comprar câmeras digitais voadoras. Atualmente isso é possível, e tem se tornado cada dia mais comum nos céus das nossas cidades.

Foi em 2013, com o lançamento do modelo Phantom1, que o mercado de drones domésticos passou a crescer rapidamente. Desde então a empresa tem lançado novos modelos e já está em sua quarta versão, cada vez mais sofisticados e seguros.

Com o número crescente de RPA´s – aeronaves remotamente pilotadas – nos céus, os acidentes têm aumentado em todo o mundo. Basta realizar uma pesquisa no Youtube para encontrar incontáveis vídeos mostrando acidentes envolvendo diversos tipos e modelos de drones. Vale destacar que a grande maioria dos acidentes é por erro ou abuso humano.

Pensando na segurança, o Brasil vem implementando regras para o uso do equipamento ao longo dos últimos anos. A primeira delas foi imposta pela ANATEL, por se tratar de um equipamento que utiliza radiofrequência, exigindo a homologação do equipamento. A segunda acabou de sair e se refere ao uso do espaço aéreo, portanto foi emitida pela ANAC, que categoriza os equipamentos em classes, de acordo com o peso do equipamento. A maioria dos drones utilizados para fotografia e em filmagens se enquadram na classe 3 da ANAC para equipamentos com peso igual ou inferior a 25kg, e a regra estabelece, de maneira bem resumida, as condições para operação: não é permitido voar acima de 400 pés (120 metros); o drone deve permanecer no campo visual do operador (BVLOS) e não é permitido voar a menos de 30 metros de pessoas, entre outras especificações.

Indiscutivelmente o uso de RPA’s abriu muitas possibilidades em diversas áreas, barateando a fotografia aérea e permitindo novas perspectivas.

Contrate profissionais regulamentados junto a ANAC e ANATEL.

Abraços e até a próxima.

 

TIAGO DEGASPARI
fotógrafo profissionalformado pela UNIMEP MTB 75562/SP
www.tiagodegaspari.com.br
www.vidadefotografo.com.br

©TD. As fotos não podem ser repassadas para terceiros e só podem ser utilizadas na edição para qual foi cedida.

 

 

 

Compartilhe isso:

Adicionar comentário

http://www.faal.com.br